sexta-feira, fevereiro 09, 2007

Ratatouille



Embora goste imenso de legumes e vegetais (adoro brócolos, espinafres, couves de bruxelas, alface, quase todos!) tentando que estejam sempre presentes em qualquer refeição, das principais, houve algo que não me convenceu de imediato nesta receita, cujo original a qualifica de "vegetariana". Achei-a super moderna e que a carne não faria assim tanta falta! Na fase de saltear os legumes cheguei a pensar que não ia aguentar esperar pelo resultado, porque o cheiro estava fenomenal, e ainda melhor ficou quando lhe juntei o queijo e foi ao forno. Achei que ia comer a travessa toda!!! A sucessão de pensamentos foi a seguinte: Primeira garfada: Delicioso!!! Segunda: Bem se calhar pus beringela a mais...Terceira: Ou demasiada batata? Será queijo a menos! Ao fim de seis ou sete: Mas não passa disto??? E se lhe juntasse um pouco de bacon?
Parecia que lhe faltava alguma coisa. O meu marido manifestou-se várias vezes, perguntando-me se aquilo era só batata. Fiquei meio desconsolada, mas no dia seguinte, a minha empregada, que é vegetariana, comeu dois pratos e desunhou-se em elogios, pedindo-me se podia levar o resto para casa. Só há uma conclusão a tirar, o problema é nosso e deste hábito da carne, assumidamente!!! Por isso, vou voltar a fazê-la, provávelmente como acompanhamento, sobretudo para o marido. Houve algo que gostei bastante no meio disto tudo. Da sensação de leveza, podíamos de facto comer uma pratada que não é comida de ficar com a sensação de enfartada... Bem, tirem as vossas conclusões!


- 1 beringela
- 1 courgette
- 3 tomates maduros
- 1 cebola
- 1 pimento vermelho, pequeno
- 2 dentes de alho
- 800 gr de batatas
- 1 dl. de azeite
- sal, pimenta e tomilho
- 80 gr de queijo da ilha (usei S. Jorge e pus mais)

Limpar a beringela e a courgette e cortar-lhes as extremidadas, sem as descascar. Cortá-as em cubos, bem como os tomates. Cozer as batatas em água com sal, pelá-las e cortá-las em rodelas. Descascar e cortar a cebola às rodelas. Num tacho, saltear a cebola com os dentes de alho picados, até refogarem levemente. Juntar os restantes legumes, excepto as batatas, e mexer até ficarem meio cozidos e temperar com sal, pimenta e tomilho. Num tabuleiro de ir ao forno, colocar metade do preparado dos legumes, cobrir com as batatas em rodelas, com outra camada de legumes e o pimento às rodelas finas. Polvilhar com queijo e levar ao forno cerca de 45 minutos, a 160º. Servir de imediato.

* Receita retirada da revista Teleculinária, nº1180.

16 comentários:

Carla disse...

Olha, fiz isto ontem mas sem a batata e sem o queijo. Salteei tudo num wok que comprei no IKEA. E temperei no fim com molho de soja.
Fica bom... Eu gosto de comida vegetariana. Servi com massa...

Beijinhos

fatima disse...

Pois é, esta coisa dos legumes...
acho que só há coisa de meia dúzia de anos é que me fui mentalizando da sua importância na nossa alimentação e a achar-lhes uma certa piada...
Mas fiquei curiosa com esta receita!!

Anónimo disse...

não conhecia a adição da batata à rattatouille. pelo aspecto, acho que levou pouco tomate e os legumes foram ao forno cedo de mais, deviam ter ficado mais tempo (a envolverem-se e "derreterem"). em francês, usa-se mesmo o termo rattatouille em situações de grande confusão. Claro que há varias maneiras de a fazer (cada região de frança deve ter a sua receita).
na minha opinão, acompanha lindamente massas. mas pode ela mesmo servir de acompanhamento a uma carne.

kuka disse...

Pois é...Precisamos de crescer fortes e saudáveis. Mas é só batata!? Lol!
Tem bom aspecto e deve ter ficado saboroso. Vais ter que variar as proporções dos ingredientes até que o sabor se adapte ao teu paladar.
E pró homem faz um bifinho com ovo estrelado.

sweet disse...

vou experimentar. apesar de não ser vegetariana, cada vez mais gosto de pratos deste género, sem carne...
obrigada!

Elvira disse...

A ratatouille - pelo menos a francesa original que conheço - não leva batata nem queijo e é servida bem fria. É um acompanhamento - uma espécie de salada - e não um prato vegetariano. Talvez por isso não ficasse muito convencida, querida Cristina...? ;-)

A Taste in Heaven disse...

Nossa eu estava pensando nessa receita esses dias mesmo. Obrigada!! Parece deliciosa!!

Vivianne

Eliana Scaramal disse...

Perfeito! Adoro este tipo de comida e apresentação esta muito bonita!

Gisela disse...

Olá, andava aqui sem saber o que fazer para o jantar e fiz uma pesquisa na net hehehehehe dei com o teu blog que felizmente me deu muitas ideias.... obrigada!

Cristina disse...

Obrigado pelas sugestões! Fiquei convencida a experimentar sem a batata, penso que vai ficar mais gostoso, só a mistura dos legumes :)

Manú disse...

Oi Cristina!!!
Tenho um blog e este final de semana inventei uma versão light da sua receita, ficou bom demais! Passa lá e dá uma olhadinha, vou aproveitar para deixar seu link em meu blog.
Ah, seu blog é ótimo, várias receitas deliciosas. Amei!
Uma beijoca,

Manú.

Sofia disse...

hmm sempre fiz sem a batata. além disso não salteio os legumes antes. disponho tudo num tacho por ordem do que cozinha mais lentamente para o que cozinha mais rápido e faço ao lume. também ja fiz o mesmo num recipiente de ir ao forno, mas sempre sem saltear. o truque está no tempero. muita pimenta, noz moscada e tomilho ;)

iládio disse...

mmmmmm... eu também não conhecia este prato assim! faço como se fosse uma espécie de caldeirada! Nem sequer vai ao forno e serve como refeição principal acompanhado de arroz branco! Também não uso batata, uso alho-francês e tudo o resto que aparece na receita acima! O queijo ponho só no fim, ralado, na altura de levar à mesa!
Faz-se um refogado com azeite, cebola, alho, louro, ervas provençais, pimentos verdes e vermelhos, tomate e 1 cravinho e depois põe-se os ingredientes aos poucos, beringela, courgettes e alho francês... rega-se com vinho branco e pronto, é só deixar cozinhar! serve-se com arroz branco e polvilhado com queijo! Bom apetite! É mais uma variação da mesma receita!

Sofia disse...

Olá Cristina,
Pois também eu conheço esta receita de forma diferente.
Da última vez que estive em França, na região do Loire, ensinaram-me da seguinte forma: num tacho, cuja tampa vede bem o vapor (pode ser na panela de pressão), colocar os legumes de forma aleatória e cortados grosseiramente (cebola, pimento de todas as cores, alho, beringela, courgete, nabo, tomate...). Temperar com sal, uma folha de louro e um fio de azeite, tapar e deixar cozer bem, agitando o tacho de vez em quando sem destapar nem mexer os legumes, para não se desfazerem.
Se apetecer, pode juntar-se um pouco de água e, a meio da cozedura, desviar os legumes para um lado do tacho e cozer um punhado de arroz no caldo.
É delicioso e, como dizem os franceses, quanto mais requentado melhor!
Espero que goste.

Sofia

Cristina disse...

Obrigado pela sugestão Sofia! É sempre muito interessante conhecer estas variações por quem sabe de direito ;) Deve ser óptimo, o arroz cozido no caldo então deve ficar uma delicia!

Anónimo disse...

...please where can I buy a unicorn?