segunda-feira, fevereiro 03, 2014

Filetes escondidos



Oi? Está aí alguém? Vou supôr que sim, que isto não anda totalmente coberto com teias de aranha. Pus-me a fazer contas e não foi preciso muito para perceber que a frequência de posts aqui no Ovo Estrelado é qualquer coisa de muito estranho. Irregular e estranho. Seguem-se uma série deles cerca de 2 em 2 anos. E depois longos silêncios. O que vai contra qualquer regra básica para manter uma lista de leitores minimamente fiel. Mas também, nunca fui muito de regras :) Devo ser a blogger mais bipolar do mundo, mas há alturas da minha vida em que não consigo, simplesmente. Perco o controlo. Só penso para mim "Cris, menos!!! Há tempo para tudo!". Mas não há. E esta vida não anda fácil para ninguém, prega-nos algumas surpresas, algumas que se interpôem impiedosamente entre mim e este blog, que por mais abandonado que esteja, nunca é esquecido ou desvalorizado. Quem tem blogs sabe como eles ficam a fazer partes de nós. Quem como eu acaba por os pôr de de lado sabe também como pairam ali, ausentes mas ao mesmo tempo teimosos, resistentes e saudosos. Pois, este meu Ovo Estrelado é um sacana desses, da pior espécie. Por isso, toma lá uma receitinha de peixe para ver se sossegas. 




A minha travessa não ficou tão bonita como a original, e quem tem crianças se calhar já está a torcer o nariz... Peixe, courgettes e cogumelos pode parecer arriscado para a pequenada, mas confiem, ou pelo menos, arrisquem, mesmo que não façam em tanta quantidade. É que ficou mesmo muito bom. As minhas filhas adoraram e até a mais nova se rendeu aos "pepinos", nome que insistentemente chamou aos pedacinhos de courgette. Refilou, remungou, fez bico de amuada, mas no fim... o prato ficou limpo. Os crescidos adoraram. Usei filetes de peixe-espada preto, frescos e branquinhos. Pão e queijo acabadinho de ralar na Bimby. Bechamel também bimbado. Tudo feito de base na minha cozinha, como gosto.

Ingredientes:

- 700 gr. de filetes de peixe-espada preto frescos
- 1 courgette grande
- 300 gr. de cogumelos frescos
- 100 gr. de pão ralado
- 50 gr. de bacon em cubinhos
- 1 pacote de molho bechamel (utilizei uma dose feita na Bimby)
- 150 gr. de mistura de queijo ralado, para gratinar
- 2 colheres de sopa de maionese
- 50 gr. margarina de cozinha Vaqueiro
- 4 dentes de alho
- 1 colher de sobremesa de estragão seco
- sumo de 1/2 limão
- azeite, sal e pimenta branca qb.

Preparação:

Com alguma antecedência, temperar os filetes com sal, pimenta, o alho picado, o estragão seco e o sumo de limão.   

Como tinha restos de pão e um pedaço de queijo inteiro, ralei-os na Bimby e reservei.  Preparei ainda uma dose de bechamel na Bimby, conforme o livro-base.

Misturar o bechamel com a maionese.


Aquecer o forno a 170ºC. Num tabuleiro de forno untado com margarina ou azeite, colocar os filetes passados no pão ralado. Espalhar por cima a mistura de bechamel e maionese e levar ao forno cerca de 20 minutos.

Numa frigideira, aquecer o azeite ou margarina, conforme o vosso gosto, e alourar o bacon. Juntar os cogumelos e saltear em lume médio alto, para que libertem a àgua. Juntar as courgettes e repetir o processo, tendo o cuidado de não deixar amolecer muito os legumes.

Dispôr esta mistura por cima dos filetes e cobrir com o queijo ralado. Levar novamente ao forno para gratinar. Servir com acompanhamento à escolha. Arroz branco é quase obrigatório lá em casa.  Mas cuscuz também deve ficar muito bem.

Fonte: Site da Vaqueiro




sexta-feira, outubro 05, 2012

Um guisado para receber o Outono. Com azeitonas verdes e paprica.



Depois de um longo interregno para umas descansadas e revigorantes férias, em que tentámos aproveitar ao máximo todos os momentos para gozar a praia, para sair e fazer programas em família, depois do frenesim da preparação para o regresso à escola e ao trabalho, chega finalmente a oportunidade para começar a serenar. A chegada dos frutos e legumes da nova estação, as folhas das àrvores a cair e o fresco da manhã dizem-nos que os tempos são outros e que um novo ciclo começa. Sem melancolias, é tempo de dizer até breve ao Verão, e disfrutar de tanto de bom que o Outono nos tem para oferecer, com especial destaque aqui no que à cozinha se refere. Confesso-vos que nestas férias desleixei completamente a minha! Foi o básico, os grelhados, as frutas, saladas (sem grandes complicações!), os iogurtes. Tudo prático, rápido, que as férias passam a correr e há tanto que aproveitar fora de casa. Forno nem pensar, comidas mais pesadas nem vê-las, o relax total!!! Acho que é por isso que ando entusiasmadissima com este retorno, às aulas e ao trabalho, e especialmente ... aos meus tachos, à minha cozinha e às receitas, revistas e livros de culinária espalhadas por todos os cantos cá de casa ;)


Ingredientes (4 px):

- 500 gr. de carne de porco cortada aos cubos (ou outra da vossa preferência)
- azeite
- 1 cebola roxa, cortada em gomos finos
- 3 ou 4 dentes de alho
- 100 gr. de chouriço
- 1 colher de sopa de paprica (já sabem que gosto, muito :)
- tomates picados (usei uma lata de 400 gr.)
- 300 ml de caldo de legumes
- 400gr. de grão cozido
- 100 gr. de azeitonas verdes, sem caroço
- raspa de 1 limão pequeno (usei metade de 1)
- um raminho de salsa picada
- pão torrado para acompanhar

Preparação:

Coloque o azeite num tacho (que possa ir ao forno de preferência, senão terá de usar outro recipiente depois) e aloure os cubos de carne. Junte a cebola aos gomos e o alho, até amaciarem. Adicione a paprica e o chouriço, tempere com sal e pimenta branca e cozinhe cerca de 5 minutos. Por fim, junte o caldo e o tomate, bem desfeito. Neste ponto, na receita original dizem para passar o tacho com a tampa para o forno, mas eu deixei cozinhar no fogão, cerca de 1 hora e meia, até a carne estar bem cozida. Seja num ou noutro caso, ao fim deste tempo, juntar o grão, as azeitonas, a raspa e umas gotas de sumo do limão e envolver bem. Deixar apurar mais uns 20 minutos, polvilhar com salsa picada e servir com pão torrado.

Fonte: Revista Olive, Jun 2009 




quinta-feira, julho 26, 2012

quinta-feira, julho 12, 2012

Bolo gelado de iogurte e frutas


Meninas, (e meninos!) esta é super light, e cheia de sabores frutados, perfeita para o Verão, que há-de chegar! ;) Tal como é sugerido na receita original, faz sucesso com a criançada devido às camadas coloridas e não fica nada exageradamente doce. Prefiro sobremesas deste tipo, que incluam fruta e pouco açúcar, para o dia-a-dia, embora goste das outras mais calóricas, é claro, mas essas têm de ser para dias especiais. O equipamento necessário ajuda a que seja uma receita muito prática para se fazer: apenas uma boa varinha eléctrica (com a Bimby é num instante!). E tem de ser feita com alguma antecedência, para se ir congelando as camadas.

- 200 gr. de morangos
- 125 gr. de framboesas
- 125 gr. de amoras
- 2 bananas
- 500 gr. iogurte grego (equivale a 4 caixas do iogurte grego Danone, 125 gr. cada)
- 6 colheres de sopa de açúcar

Forre uma forma rectangular com película aderente. No copo da varinha, bata os morangos com um dos iogurtes e 2 colheres de sopa de açúcar. Despeja na forma e leve ao congelador, pelo menos 15 minutos, até estar sólida (no meu caso demorou um pouco mais).

Com o copo limpo, repita o processo seguindo a ordem: banana, framboesas e amoras. Só na camada da banana é que não juntei açúcar, porque achei que ficava doce. Sugiro que vão provando cada um dos cremes e ajustem os açúcar consoante o vosso gosto.

Deixe à temperatura ambiente pelo menos 10 minutos antes de servir. Seguindo a receita original, este gelado conserva-se bastante tempo.

Fonte: www.jamieoliver.com

terça-feira, julho 10, 2012

Frango cremoso com estragão e espargos



Tem sido muito bom voltar a ter o blog activo neste últimos tempos e ando contente por conseguir ir conciliando e arranjando tempo para tudo. Há alturas mais complicadas em que assim não acontece, como todos voçês sabem, mas agora estamos numa fase positiva. Agradeço do fundo do coração a todos os visitantes, a quem por aqui tem passado e tem tempo para deixar uma palavrinha de apreço. E um obrigado especial aos verdadeiros mimos que me deixaram no meu desabafo anterior sobre as minhas inaptidões, foram valentes massagens no coração e acabam por ser um incentivo para continuar a tentar melhorar neste domínio! 

Mas vamos à deliciosa proposta de hoje. Cansada de usar espargos só em sopas, fiquei logo interessada nesta receita. Primeiro pelo nome, em inglês "creamy chicken with aspargus and tarragon". As possibilidades deste "creamy" do inicio piscam-me logo o olho e na foto tentadora da revista, o verde pontuado dos espargos dizem-me que não há tempo a perder, esta é para fazer sem hesitações.


Ingredientes:

- 4 peitos de frango
- 500 gr. de batatinhas novas
- 1 clh. de sopa de óleo de girassol (usei azeite)
- 1 cebola grande, picada
- 4 dentes de alho picados
- 350 ml. de caldo de galinha (usei 1/2 cubo de Knorr Natura)
- 1 raminho de estragão fresco (usei 1 clh. de sopa de estragão seco)
- 1 clh. de sobremesa de açafrão
- 1 molho de espargos
- 1 pacote de natas de soja
- pimenta preta

Preparação:

Coza as batatinhas  numa panela com àgura a ferver cerca de 8 a 10 minutos, até que estejam macias. Escorra muito bem e reserve, mantendo no quente.


Tempere os peitinhos de frango com pimenta preta moída e o alho picado. Prepare o caldo de galinha.

Aqueça o óleo ou azeite  numa frigideira de fundo largo (se couberem os peitinhos todos melhor) e doure a cebola com os peitinhos, virando-os a meio. Mexa regularmente para que a cebola não queime.

Despeje o caldo sobre a carne, junte o estragão e deixe cozinhar em lume brando. Cozinhe por cerca de 5 minutos, depois vire o frango e adicione os espargos e o açafrão. Rectifique temperos. Como o caldo é salgado não junto mais sal, mas isso fica ao vosso critério. Deixe o caldo reduzir e quando já estiver a querer secar, junte o creme de soja. Ou natas, se preferir. Envolva bem o molho. Polvilhe com mais estragão. Sirva com as batatinhas reservadas.

Fonte: Revista BBC Good Food, Jun/12,

terça-feira, julho 03, 2012

Bolo de Baunilha e Doce de Leite


Tenho uma manifesta falta de jeito para bolos festivos, elaborados, requintados. Quando ouço falar em recheios, coberturas, decorações com pasta disto e daquilo o meu instinto diz-me logo para não me empolgar muito. Por outro lado, acho que tenho uma mão demasiado abrutalhada para estas delicadezas e pormenores, falta-me a habilidade. A paciência. Deve ser por isso que quando vejo maravilhas como esta, me sinta verdadeiramente estarrecida, por ver que há quem transforme bolos em obras de arte únicas, capazes de encantar crianças e adultos e pontuar de forma inesquecivel ocasiões de celebração.

De aspecto o meu bolo pode não vos dizer muito, porque está simples, torto e algo grosseiro. Mas acreditem que fi-lo com suor, sangue e lágrimas. Ok, não houve sangue, mas achei que o dramatismo ficava bem para vos mostrar como me esforçei. Houve lágrimas, porque a primeira cobertura, tirada da receita original, ficou péssima, carregada de manteiga e açúcar e teve de ir para o lixo. Porque não consegui espalhar o dulce de leche, espesso como o raio, em cima da cobertura leve e airosa de natas e queijo- creme. Entre outros desaires. Mas no fim consegui dar-lhe a volta. Foi para a minha mãe e só por isso valia o esforço, mas esse tom de modéstia só durou até o provar.

Não houve nenhum bolo ou sobremesa feito por mim que tenha suscitado as reacções que este provocou. Todos que o provaram foram unânimes e dou-vos a minha palavra: para quem aprecia o sabor caramelizado do dulce de leche, é absolutamente fantástico! Não tenho mesmo palavras, é uma delícia. E se podia ter melhor cara, acredito que sim, mas deixo isso nas mãos das especialistas ;)
 


Ingredientes:

Para os bolos:

- 1 frasco com 450 gr. de doce de leite, marca Mardel (comprei no Supercor - caso não encontrem poderão substituir pelo leite condensado cozido da Nestlé. Não garanto que fique tão bom.)
- 2 chávenas de farinha de trigo para bolos
- 1 colher de sopa de fermento
- 1/2 colher de chá de sal
- 3/4 chávena de manteiga sem sal, a temperatura ambiente
- 1 e 1/2 chávena.de açúcar
- 5 claras de ovo
- 2 colheres de chá de extrato de baunilha
- 1 chávena de leite


Para a cobertura:

- 4 a 5 colheres de sopa do doce de leite
- 1 pacote de natas de 200 ml.
- 1 embalagem de queijo-creme, com 200 gr.
- um punhado de nozes pecans

* Capacidade de chávena - 220 ml

Preparação:

Aqueça o forno de 170ºC. Unte duas formas redondas com 20 cm de diâmetro com manteiga e polvilhe-as com farinha. Eu optei por forrá-las com papel vegetal.

Numa tigela, misture a farinha peneirada com o fermento e o sal.

Com ajuda da batedeira elétrica, bata a manteiga num velocidade média, até que fique cremosa.

Vá adicionando gradualmente o açúcar, batendo sempre até ficar muito bem misturado com a manteiga, num creme claro e liso. Junte a baunilha.

Baixe a velocidade da batedeira e divida a mistura das farinhas em três porções. Vá juntando cada uma destas alternadamente com o leite, batendo sempre até a massa ficar bem misturada.

Bata as claras em castelo e incorpore-as gentilmente na massa, com ajuda de uma espátula.

Divida a massa pelas duas formas. Abane-as ligeiramente para a massa ficar espalhada por igual e leve-as ao forno, cerca de 30 a 40 minutos, fazendo o teste do palito para se certificar que estão ambos cozidos.

Retire os bolos e deixe-os arrefecer completamente, numa grelha. Após estarem frios, corte-os longitudinalmente, com uma faca bem afiada, obtendo 4 partes de bolo.

Com uma batedeira ou vara de arames, bata as natas com o queijo-creme e uma colher de sopa de açúcar. Deve bater bem até a mistura ficar bem firme. Junte as 4 colheres de sopa de doce de leite e misture delicadamente com um garfo, obtendo um creme de cor acastanhada clara.

Para montar o bolo: Divida o doce de leite em três partes. Disponha uma camada para a base do bolo num prato de servir e espalhe uma das partes do doce de leite. Coloque por cima outra camada de bolo e assim sucessivamente. Termine com o quarto bolo. Espalhe cuidadosamente a cobertura pelo bolo e decore com nozes pecans.  Leve ao frio umas duas a três horas antes de servir.


Fonte: Receita adaptada a partir daqui. A cobertura original é feita com uma base de manteiga, que além de não ser muito do meu gosto, acabou por sair mal, talhou e ficou excessivamente doce. Optei por fazer a segunda cobertura, que na minha opinião encaixou na perfeição com o resto do bolo. Mesmo assim, debati-me com alguma falta de firmeza do creme. Escorreu levemente pelos lados mas não passou do que veêm nas fotos. Aceito sugestões para aperfeiçoar este aspecto. De sabor ela estava excelente, e bastante leve. 

Nota - Fiz os bolos no dia anterior a ser servido e deixei-o recheado, no frio. No dia da festa fiz a cobertura,

terça-feira, junho 26, 2012

Pescada com maionese



Garanto-vos que esta pescada fica divinal e é muito fácil de se preparar. O molho fica cremoso, puxa de sabor ao limão e à mostarda, mas depois no meio há pedacinhos crocantes de pimento e aipo (já vos disse que sou louca por aipo?). Tirei a ideia daqui, e agradeço desde já a partilha da Mar, que com esta adaptação de receita a partir do livro "O Tesouro das Cozinheiras", da Mirene, por momentos me fez recuar até há uns bons anos atrás, depois de provar. Tenho ideia de a minha mãe fazer algo parecido, mas na altura ser pequenina e não achar graça nenhuma. Engraçado como os gostos mudam :)

Ingredientes:

- 1 pescada (usei 8 mimos de pescada)
- 1 talo de aipo, cortado em pedacinhos
- 1/4 de pimento, cortado em pedacinhos
- 1 cebola, picada
- 3 colheres de sopa de maionese
- 1 colher de sopa de mostarda
- sumo de 1/2 limão
- 1/2 chávena de leite* 
- 1 colher de sopa de farinha maisena
- sal e pimenta branca
- azeite q.b.

* Medida da chávena: 220 ml

Coloque os mimos (descongelados) num prato de ir ao forno. Tempere com algums antecedência o peixe com o sumo de limão, o sal e a pimenta.
Disponha por cima dos mimos o aipo, o pimento, a cebola picada e um fio de azeite e leve ao forno durante 20 minutos.

Retire do forno e despeja com cuidado o molho para um pequeno tacho. Leve a lume baixo até ferver, retire e junte o leite com a maisena desfeita. Mexa enérgicamente para não se formarem grumos e adicione a maionese e a mostarda. Envolva bem. Cubra os mimos com este molho e leve ao ao forno a gratinar por mais  20 minutos.

Servi com puré de batata e agriões escaldados.