segunda-feira, agosto 21, 2006

Soube a figo...

Recém-chegadinha de mais uma semana de férias no Algarve, em casa da querida tia-avó Inês, é com saudades que me proponho voltar às lides culinárias. Entre o calor, a lassidão da praia, a excitação das brincadeiras com a filhota e dois ou três cozinheiros de serviço lá em casa, tenho de confessar que a prática culinária resumiu-se muito a uma ajuda nos grelhados (que isto de poder cozinhar com brasas é quase anual e tem de se aproveitar), nas saladas ou numa massinha de vez em quando.
Assim sendo, apenas dois pormenores a apontar: fartei-me de comer figos, diáriamente colhidos das figueiras, que me tiraram do sério, gordinhos e doces como mel, que maravilha! Para meter inveja aos apreciadores destas delicias (ihihihi!), aqui posto a foto, dos que mais gosto, que são os roxos. Nham nham nham...
O outro, foi uma açorda, levemente sabendo a bacalhau, acompanhando carapauzinhos fritos, feita pela tia Inês. Esta é daquelas coisas que eu sei que posso fazer, mas feita por ela sabe sempre melhor! Ela faz tudo vagarosamente, colocando cuidado em todo o pormenor, e ainda por cima utiliza o pão regional, que faz toda a diferença!
É tudo a olho! Cozeu-se uma pequena posta de bacalhau com dois ou três dentes de alho. Com essa água, demolha-se as fatias de pão, que quanto mais tipo caseiro e/ou regional melhor. Num tacho refoga-se uma boa cebola picada com azeite e louro e junta-se tomate maduro cortado em pedaçinhos. Quando estiver bem puxado, junta-se o bacalhau bem desfiadinho. Atenção, que a açorda não é de bacalhau, é para ter um leve sabor a este, por isso é mesmo uma pequenina posta, ou parte de uma grande. Mistura-se bem, mexendo frequentemente. No fim junta-se o pão bem demolhado e mexe-se muito bem, para ficar género papa mesmo. Polvilha-se com coentros picados e serve-se com os carapauzinhos fritos. Para fazer estes não há nada que saber: lavá-los e temperá-los com sal, passar por farinha e fritar. Aqui fica para abrir o apetite...

6 comentários:

Elvira disse...

Ai, figos! Hoje, estamos as duas mergulhadas em figos! :-)

Sim, aquela receita de cake salgado levou figos verdes "pingo de mel" do meu quintal não exageradamente maduros. Não os descasquei. Julgo que ainda pode ficar melhor com esses figos roxos maravilhosos!

Mónica disse...

o que eu gosto de figos, hummmm...
Lanchei tantas vezes debaixo da figueira, fica com os dedos todos sujos... ai que saudades desses tempos!

Cristinah,
que excelente regresso! ;-)

Anónimo disse...

Olá!! Gosto do teu blogg.

Figs debaixo da figueira...hum!! que privilégio...
Sabes, na minha terra isso do pão não é açorda, mas migas...deviam estar deliciosas...
Açorda é com caldo á ALENTEJANA!!!

MALICE

Cristina disse...

Olá MALICE! Obg pela visita!

Chamo-lhe açorda porque sempre ouvi a minha mãe e tias chamarem-na assim. Não sei se tem a ver com o facto de elas serem dos Açores, já que para algumas coisas têm designações diferentes. Migas pensei que fossem aquelas que são fritas. Com o caldo à alentejana nunca provei, mas só pela associação deve ser coisa boa ;) Se puderes explica-me como se faz!

Anónimo disse...

o blog está muito giro.

Inês disse...

Gosto muito desta foto dos figos. Esta menina é extraordinariamente multifacetada. A da bavaroise também está excelente, vê-se a textura aveludada como se estivesse a respirar mesmo ao pé de nós ;) e o pormenor dos grãozinhos de café cuidadosamente dispostos à volta.... adoro!!!